Páginas

terça-feira, 22 de junho de 2010

Um amor ...
perdura na nosso coração, na nossa cabeça, nos nossos objectivos, nas nossas vontades, nos nossos actos... mesmo com impossibilidades ou mesmo sem correspondência...
até um dia aparecer um outro amor tão ou mais forte do que o anterior capaz de superar essa ferida que dói escondida dentro de nós próprios...
Não adianta dizer que com o tempo passa, ou com as borgas...
Eu sei que não passa...
sim podemos, tentar ocultá-lo...
mas vai continuar ali nas noites sem sono, nas viagens longas, no fundo do horizonte, no céu azul, naquela música, naquele lugar, naquela roupa, naquele perfume, naquele espaço vermelho do nosso lado esquerdo do tórax...
Nunca acreditei que a algia fosse mesmo sentida de forma fisiológica, mas realmente é mesmo...
ainda sinto muitas vezes...

Preferia não sentir acredita.
E chego mesmo a desejar conhecer alguém que realmente,
me torne capaz de ultrapassar tudo isto...
Mas depois eu própria torno dificil,
inconscientemente viajo em pensamento na direcção do passado
e não consigo alcançar nada igual no presente.

Há muito tenho vontade de me expressar assim...
E a vontade de falar contigo e estar contigo essa então nem consigo descrevê-la...
Mas esta precisa de ser recíproca.

E continuo, da forma que melhor sei continuar...
Á procura de me sentir preenchida.

[fica sempre tanto por dizer...]






ps - Compreendo muito bem o que sentes sexta13.

1 comentário:

sexta13 disse...

Hello,

Até parece sintonia...mas identifico-me de tal forma no teu post que uma lágrima apareceu no meu rosto...

e é cm digo, um dia temos que combinar um café comigo não ébrio :P

De resto, espero que esteja tudo bem contigo :)

Beijoca.