Páginas

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Estou a precisar de muito colinho :(
Mesmo, mesmo, mesmo.
Páro e fico a olhar para aquela menina de seis anos,
Com a mão dada ao seu pai,
Sem saber qual dos dois vive com mais sonhos.
Ela com pouca vida vivida,
Com um sorriso inocente,
Com o seu rabo de cavalo feito pela mãe,
Fazendo sempre os seus trabalhos de casa,
Levantando sempre cedo
Para ficar acompanhada pelo seu pai
A tomar o seu leite com cereais.

Páro para olhar aquele homem determinado
E lutador de 29 anos,
Seguindo mais um dia de trabalho,
Oferecendo o melhor presente
AMOR.
Construindo a sua vida
Em função da vida da filha e esposa.
Mostrando um grande sorriso
Por cada obstáculo enfrentado
Por cada conquista...

Hoje este homem tem 46 anos
Continua a sonhar
Continua a viver e a pensar para a familia.
Continua a ser o mesmo homem
Determinado e lutador...
E acima de tudo conquistador.

TENHO CERTEZA DISSO PAI.
E tens a tua filha e a tua esposa
A viver e a pensar para ti.

AMO-TE muito
E sim, és sem dúvida nenhuma
O MELHOR PAI.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

No meu local de trabalho, sinto-me uma professora a marcar faltas aos alunos.
E no final de três é como se fosse processo disciplinar.
Só não vão para a rua, mas adquirem um nova posição na organização burocrática.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

UHMMM... isto de namorar e....

não, não é comigo, nem no papel de namorada, nem no papel de 2ª pessoa.
Quer dizer, ai e tal eu tenho namorada, mas queres ir dar uma volta comigo?
Tipo, somos grandes amiguinhos.

Ok, abriu o jogo e não está cá para criar ilusões, mas o que pretende?
Certamente a namorada não há-de achar muita piada ao facto de ir tomar café com outra que mal conhece. Pelo menos eu não ia achar piada.
Ou então, ya, aquela está interessada em mim, mas eu namoro, mas se ela concordar em uma vida dupla, podemos ter uns bons bocados.
Ou então, o facto de namorar é uma forma delicada ou não de me afastar, mas então para que tem iniciativa? Não percebo.
Se calhar a vida realmente em Lisboa ainda me transcende... ya podemos ser grandes amigos e fartarmo-nos de rir, brincar e gozar um com o outro num final de tarde, em Belém numa esplanada a deliciar um gelado.

Não concordo em estar com alguem que namora, e que pode criar uma vida dupla comigo.
Não concedo uma traiçao independentemente do meu papel (a que trai ou a que é traída), quando me envolvo com alguém é porque acho que vale apena, porque acho que dali posso construir um futuro próximo bom.
Imaginámos que eu estava com alguem que ao mesmo tempo namora com outra e que entretanto acabava o namoro e até poderia namorar comigo... Que confiança poderia existir nesta relação, dado que concedi a traição antes, passaria a vida a recear que acontecesse o mesmo comigo.

Bem pelo menos alguns são francos, expõem o jogo, ou se quer ou não se quer. Outros omitem o que para mim é bem pior. Mas vá, outros aprendem a lição, assim o espero.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Tenho uma hora para arrumar o quarto que deixei desarrumado de manhã para correr para o trabalho... tenho na mesma hora que fazer a mala com as coisas que pretendo levar este fim de semana para Fafe, deixando muito espaço para trazer coisas que tanto me sabem bem.
E em vez disso, estou aqui com tudo por fazer, mas já com o bilhete na carteira a escrever este post. Tudo porque cada vez me custa mais, esta rotina antes de um fim de semana a casa... juntando ao cansaço de 5 horas de viagem.
Estranho a minha cama quando comparo com a cama que não é minha do meu quarto de Lisboa.
Encontro o meu Duque (cãozinho de estimação) que apesar de me fazer uma grande festa quando lá chego, dá a fugir pelo portão não respeitando a minha chamada.
Morro de saudades dos meus pais, mas gosto tanto quando são eles a virem cá... (estou a ser egoísta), e é por todas estas coisas que cada vez mais passo os fins de semana pela capital, na descontracção e no laser... é também passando aqui os fins de semana que consigo tirar coisas boas desta Lisboa onde me encontro, dado que à semana enquanto trabalho a realização pessoal é muit baixa.

Mas hoje finalmente vou a Fafe, levo um livro para ler pelo caminho, uns rebuçados para a tosse e toda a outra medicação que o Dr do meu serviço me receitou. E vai-me saber tão bem...

E vou agora fazer a mala e arrumar o quarto:)

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Hoje dei comigo a pensar, durante a minha hora de trabalho...
Como se fosse só hoje.

Será que eu ando assim sempre tao ocupada com programas pós-laborais?
Será que é essa ocupação que não permite a tua entrada na minha vida?
Bem, acho que sofremos os dois um pouco com isso.
Quando junto a minha ocupação pós-laboral com o teu ritmo de trabalho semanal.


O que virá agora?