Páginas

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Aqueles dias que tens preguiça de sair da cama,
aqueles dias que até tens algo para fazer, mas que pode esperar mais um pouco,
e passas a tarde em frente a um ecrã, a ouvir música, a pensar em ti, no futuro, no presente e no passado.
Uma tarde perdida em memórias, em saudades, em recordações.
Vês fotos antigas, lês mensagens antigas do blog...
imaginas, idealizas, sonhas...

Hoje foi assim... depois de uma boa noite passada ...

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Realça-me uma evidência.

Até quando a vida me vai dar oportunidades que eu vou desperdiçando?
Quantas vezes mais o tempo e o espaço me vão favorecer?
Será que eu ainda sou merecedora deste tempo, deste espaço, desta vida que vivo?

As vezes pergunto-me porque é tão dificil chegar e dizer o que sinto...
Não compreendo como é que expressar pode ser tão dificil para mim quando é tão facil para outros...

Talvez o tempo não esteja assim tão a meu favor... talvez o tempo, o momento tenha passado, enquanto achava que estava à espera do momento e do tempo certo.
Como eu gostava de poder voltar atrás, e poder perceber e encarar o tempo e o momento quando ele foi certo.

...

Há tanta atitude, há tanto comportamento, há tanto gesto que gostava de poder compreender e interpretar da maneira que pretendes transmitir...
Mas será que havia algo que me quisesses transmitir ou haverá a hipótese de existir algo que me queiras transmitir???
Pois,
Eu não sei...

Gostava tanto de perceber se evidências observadas por mim eram realmente evidências... lamento só observar essas evidências muito tempo depois...
mas nos momentos, em todos os dias, em todos os meses e em todo o tempo havia a minha insegurança, o meu medo...


Se ainda estou no tempo e se ainda estou no espaço certo,
mostra-me, dá-me um sinal...
realça uma evidência por mim observada anteriormente...
cria uma nova evidência.

...

domingo, 22 de novembro de 2009

Night AFTER Night


São noites de conversas, são noites de desabafos, são noites de coincidênciais, são noites de sinais, são noites de especulações, são noites de choro, são noites de sorrisos, são noites de partilha, são noites de indiferença...


[Abri o segredo a ti, Helena]

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Sem tempo...

Estou a adorar sentir novamente esta sensação de responsabilidade, de ocupação, de utilidade.
Sim, tive de abandonar os embrulhos de Natal para me dedicar ao meu trabalho durante este período de tempo....
Para escrever aqui agora, estou a abdicar de algumas horas de sono que estão em falta. Porque confesso estando em Coimbra, não consigo abdicar de uma saída á noite, de um café...
Mas com gosto corro e não canso.

E venho aqui com vontade de escrever tanta coisa... mas vou deixar o registo de que ontem a noite aconteceu-me de tudo um pouco. Se por um lado fiquei deslumbrada com a simpatia de um rapaz (conheci na Latada 09, lembrou-se de mim e da minha história e eu nem me lembrava de o ter conhecido...), por outro lado fiquei na estrada as tres horas da manha, com o carro parado sozinha, porque simplesmente menosprezei o ponteiro da gasolina, achando que a reserva ainda dava. Enfim... de balanço o meu carro que faz 20 anos conseguiu chegar a bomba de gasolina perto dos HUC (ainda bem que Coimbra é feita de altos e baixos, e ainda bem que estava a descer e que havia uma bomba de gasolina, mas por azar a bomba estava fechada e só abria na manha seguinte por volta das sete, e faltavam quatro horas).

Ai Daniela só me lembrei de ti e do Hugo para me virem salvar... Foi a maneira que encontrei para conhecer a tua casa lol, e para dormir no teu quarto... muito obrigada por depois as sete me levares ate a bomba de gasolina...

Disto tiro uma lição de responsabilidade, tantas vezes o meu pai me avisou...e era desnecessária esta situação.
Há e sugiro que todas as bombas de gasolinas sejam construídas no final de uma descida.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Lançada à Vida...

é assim que me sinto, é assim que sentes pai,
é assim que me fizeste sentir.

Obrigada...
vou lutar para me realizar e te realizar ;)

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Amo-te Avó.

E porque começar o primeiro emprego traz algumas borocracias,
hoje levantei bem cedo... para tratar de tudo.
Finanças, Segurança Social (...)
Mas depois fui ter consigo avó. Dar-lhe a boa notícia que tanto esperava ao longo destes 3 meses.

Sabia que ia ficar contente, mas começarmos as duas a chorar de tanta "contentação" não esperava. Choramos e ri-mos ao mesmo tempo, e a avó apenas me disse:

"Alegraste-me o coração!" "Ai, o teu pai deve estar tão contente e a tua mãe!"

Obrigada pelo carinho avó, pelo aconchego... pelo meu pai... por tudo avó.
Foi esta avó que me deu o melhor pai do mundo que tanto me orgulho e encho o peito para dizer: É o meu pai!
Sim, não é por muito tempo que vou trabalhar. Para já só 4 meses, mas em Coimbra, junto de tantas pessoas que estimo naquela cidade... é o melhor começo que me poderiam dar. E porque continuo a buscar mais e melhor... Em Março concerteza continuarei o meu caminho...........

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Façam Figas ------» Mundo do trabalho :)

Saí da entrevista com tanto para expressar... e já passaram tantas horas que já fui expressando tudo e mais alguma coisa.
Resta dizer:
sinto-me feliz.

Numa conversa com a leninha...

Quando chegamos a uma cidade (há 4anos atrás) todos os que conhecemos viviam a mesma experiência. Todos parecíamos iguais. As mesmas ambições. Os mesmos gostos. A mesma vontade. A mesma alegria.

Mas com o tempo todas estas expressões vão divergindo.
E afinal não somos todos iguais.
Criam-se afinidades, amizades, amores...

Pessoas mais susceptíveis a ouvir.
Pessoas mais espontêneas.
Pessoas mais reservadas.
Pessoas mais sensíveis e emotivas.
Pessoas mais ruíns.

Pessoas misteriosas que se vão revelando.
É engraçado como a convivência diária ajuda a conhecer alguém como é exactamente.

Sou filtradora, confesso. Sou ouvinte, confesso.
E há muita coisas que sei de gente misteriosa, que a mim não se mostram misteriosas.
Observo e respeito cada um deles.

Mas admirar e gostar, só admiro aqueles que descobrindo-os, aprendi a gostar cada dia um pouco mais.

sábado, 7 de novembro de 2009

O Natal deveria ser todo o ano...

Este ano ja me envolvi no espirito natalício, ainda é cedo, mas este ano está a ser diferente comecei este fim de semana a fazer embrulhos de Natal. E sabem que mais, estou a adorar, por mim havia Natal o ano todo e tornava-me como profissão - Embrulhista (lol).
Já ouvi muitas gargalhadas, muitas crianças de olho a brilhar olhando os embrulhos, muitos pais a resmungar, anda cá Beatriz... não saias d'ao pé de mim! Já te dissemos que são para abrir apenas no Natal...
Houve um episódio que me marcou neste primeiro dia de embrulhos. Um casal humilde, que se dirigiu com o número 32, e consigo traziam um número considerável de presentes. Haviam presentes para toda a gente, o avô, a avó, o pai, a mãe, a Matilde, a Catarina, o João, (...) Mas eram presentes muito simples, pequeninos e úteis... realmente notei a diferença ao comparar com outros presentes que embrulhei... mas era tanta a felicidade deles ao notarem que não se tinham esquecido de ninguém e iam apontando o nome no embrulho com caneta, para se destinguirem...
Porque era um fim de semana de descontos em 50% para o cartão Continente (passo a publicidade) e tinham de aproveitar essa oportunidade...
Admirei a forma tradicional que mantêm o Espirito da Noite de Natal, provavelmente irá ser uma noite bonita naquela casa, com presentes para todos, com mais valor sentimental do que outro tipo de valor de grandeza. Em cada embrulho estava amor, dedicação, carinho, afecto ...
Admirei também, porque na minha família já se perdeu um pouco esse espirito, hoje em dia os meus pais não esperam pela noite de Natal para me darem o presente (o meu pai diz que antes me causava uma ansiedade desnecessária... e que era desnecessário esperar se já posso ter... por aí... o meu pai e as suas ideias próprias...) a família também não é grande...
Estou a sentir-me bem a fazer embrulhos, sinto-me útil... é como se esteja a fazer para elas (Crianças e pessoas) e para mim também (faz-me BEM).

Estou triste...

Sinto que não vou poder compensar tão cedo :S :(

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

É preciso acreditar.



Há coisas do destino...ai se há!
Cada vez mais acredito nisso... e ainda bem.

Hoje duas amigas minhas receberam um telefonema para serem entrevistadas num ponto do nosso Portugal bem perto do que ambas mais desejam...

Nada melhor pode acontecer a alguem poder consiliar a profissão, o emprego* com a chama(da) do coração.

Desejo-vos sorte minhas amigas e cabecinha, juízinho...
acho que agora ainda vão precisar mais.

Mas como se não bastasse hoje a Linha Saúde 24 está a recrutar enfermeiros para novas entrevistas, para reforçar o atendimento aos utentes...

[Foi muito bonito da tua parte recusar uma entrevista dado que já tens outra, espero que esta tua acção te permita conquistar o lugar que queres lá na Ericeira... tenho certeza que sim...]

Mas sabem outra coisa, também me telefonaram da linha saude 24, mas o meu telemovel que estava no bolso não tocou, recebi apenas uma sms às 19:34h a dizer... o nº +351......... tentou ligar-lhe uma vez às 19:34h.
No mesmo minuto liguei de volta mas sem sucesso, nunca deu a ligação. O certo é que não me voltaram a ligar...
Há coisas que não consigo entender, talvez tenha ficado sem rede naquele segundo da chamada...
Bem cada vez mais acredito, que existe destino e o meu não é atender telefones.
Seja como for, vou esperar pelo meu, que parece estar bem guardado à minha espera e a fazer-me sofrer todos os dias''

*Já agora se um dia aparecer um lugarzinho...
lembrem-se de mim!

''Se bem que hoje nem estou muito para o desespero.
Como dizes Mariana há dias que nada nos atinge!


segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Harta de hacer daño!

Todos os dias faço a mesma coisa...
olho os mesmos sites na internet, com o dinheiro dos pais lá vou eu no carro de 20 anos gastar gasolina, mais cartas registadas... e tudo para repetir o mesmo gesto...
cada vez tenho menos esperança...
cada vez mais, pouco serve como amor à camisola ou como descargo de consciencia.

Recorro a tantos mecanismos a tantas estratégias... mas começam a esgotarem-se...
sinto-me cada vez pior...
chega de querer mostrar a mim mesma que estou bem...
quando tudo na minha vida esta mal..
tudo no tempo errado... tudo no sitio errado...
talvez seja egoísmo meu pensar assim... quando perto de mim tenho um pai e uma mãe que não reclamam e que dão sempre tudo e mais para eu estar bem...
mas neste momento não me chega ter pais que me dêm tudo... preciso de ser eu a começar a dar a mim... preciso de ser eu...

Já cheguei a Novembro... já está frio lá fora...
E todos os esforços feitos se refletem no vazio.

é sem dúvida nenhuma, uma das piores fases da minha vida inteira...
o meu pai diz sempre para não me preocupar porque estou bem...
mas eu sei que não estou bem... mesmo que ele pense que sim.

Tenho muito em falta... estou com muito em falta...
Tenho vontade de me preencher a nível de cabeça e também de coração.
O de cabeça com um emprego eu resolvo.

Preciso de ocupação ...
Decidi candidatar-me a outros empregos...
pela saúde mental que quero estimar.
e acho que estou perto de conseguir um...
o de fazer embrulhos de Natal:)
Nada melhor do que passar esta época natalicia que se aproxima... ajudando a fazê-la.

O teu jeito no meu jeito...

é esse teu jeito de dar e entretanto não dar.
é esse teu jeito de ser e entretanto não ser.
é esse teu jeito de afirmar e entretanto negar.
é esse teu jeito de querer e entretanto deixar de querer.
é esse teu jeito de ir e entretanto não ir.
é esse teu jeito de falar e entretanto não falar.
é esse teu jeito de sorrir e entretanto nem sequer olhar.
é esse teu jeito de vir e entretanto não sair.
...

é esse teu jeito desentendido que me faz desentendida...
é esse teu jeito que não compreendo que me torna não compreendida...
é esse teu jeito que transforma o meu jeito de viver...

domingo, 1 de novembro de 2009

Continuo cheia de sorte no Jogo...

Rapa - Tira - Põe - Deixa

Não é um jogo muito comum nos dias de hoje...

É um jogo da altura da minha mãe e do meu pai, mas que eu já em pequenina me acostumei a jogar em família...

e hoje em família lá resultou esse jogo, para satisfazer o elemento mais novo da família - o Francisco...